Connect with us

América Latina

Com mais um líder social assassinado, Colômbia registra 28 mortes de lideranças nos primeiros 2 meses de 2021

Lideranças sociais e indígenas, ex-membros das FARC estão sendo assassinados diariamente na Colômbia

Karla Burgoa

Published

on

Na segunda-feira (01), mais um líder social foi assassinado. O Instituto de Estudos para o Desenvolvimento e a Paz (Indepaz) da Colômbia denunciou que o primeiro oficial de justiça do Conselho Indígena do Corregimiento Libertad, localizado no município de San Onofre, no departamento colombiano de Sucre, foi assassinado, registrando 28 assassinatos de lideranças sociais nos primeiros 2 meses do ano.

Segundo a Telesur, até o momento, não foram divulgados todos os detalhes do assassinato, embora vários usuários de redes sociais tenham ecoado a denúncia, publicando até imagens do corpo sem vida.

O senador Gustavo Petro foi uma das vozes levantadas para denunciar a morte violenta desse líder social indígena. Petro referiu-se à “reparamilitarização” sofrida pelo departamento de Sucre, bem como à “casta do narcotráfico” que domina San Onofre “sem que a justiça faça nada.”

Este é o 28º líder social assassinado na Colômbia em 2021, período que também registrou 15 massacres e 9 ex-combatentes das FARC-EP privados de vida com violência, e também, 1144 desde a assinatura dos acordos de paz entre o Estado e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC-EP )

Os primeiros 60 dias deste ano constituíram uma continuidade da espiral de violência na Colômbia, que teve grande expressão em 2020, quando foram denunciados mais de 90 massacres e cerca de 250 líderes sociais assassinados. Os massacres eram fenômenos “comuns” na década de 1980 e voltaram a acontecer em 2020, quando foram registradas 91 chacinas em todo o país.

*com informações de Telesur

Aproveitando o ensejo….
Aqui na Fonte BR, trabalhamos muito para entregar para vocês informações de qualidade amparadas unicamente na realidade dos fatos. Que tal apoiar o jornalismo independente que fazemos para você?
Clique aqui e seja um assinante. Fortaleça o bom jornalismo.

Jornalista boliviana, periodista potiguar. Formada pela UFRN, já trabalhou com telejornalismo diário e rádio, e atualmente, busca por meio da escrita, contribuir por uma mídia brasileira que enxergue a América Latina além dos esteriótipos

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escolha a Fonte!

Que tal apoiar o jornalismo independente que fazemos para você? Seja um assinante. Fortaleça o bom jornalismo. 

X