Connect with us

Europa

Primeiro-Ministro da Georgia renuncia após prisão de opositor

Renúncia veio após decreto de prisão contra o opositor, Nika Melia; novo Primeiro-Ministro já foi escolhido

Ady Ferrer

Published

on

O Primeiro-Ministro da Georgia, Giorgi Gakharia, anunciou sua renuncia após 2 anos no cargo. Segundo ele, a saída foi provocada por um desacordo com membros de seu próprio governo sobre a prisão do opositor Nika Melia. Gakharia considera inaceitável a prisão do opositor. No entanto, a acusação seguiu.

“Eu acredito que confronto e rivalidade dentro do país põe em perigo o futuro do desenvolvimento democrático e econômico da georgia. por isso, eu anunciei minha renúncia na esperança que reduza a polarização e acalme a situação”

Nika Melia é diretor do partido da oposição Movimento Nacional Unido (UNM) e já foi Primeiro-Ministro do país de 2004 até 2012. Ele é acusado de incitar a violência em protestos de 2019. Em junho, o partido do governo, Georgian Dream, convidou Sergei Gavrilov, um legislador da Rússia, a estar presente em uma sessão conjunta do parlamento da Georgia em 20 de junho. Manifestantes tomaram as ruas do país acusando a Rússia de interferência.

Melia deveria ter sido preso ontem, 17, mas se refugiu dentro da sede de seu partido, acusando o partido do governo de falsificar as eleições. Centenas de apoiadores bloquearam a entrada de policiais. Com a renúncia, a ordem de prisão foi adiada.

Dentro da sede da UNM, Melia pediu novas eleições:

“Em nome de todos os partidos de oposição, eu declaro: vamos sentar na mesa de negociação com representantes desse governo e começar a negociar novas eleições antecipadas”

O Georgian Dream escolheu o Ministro da Defesa, Irakli Garibashvili, para o cargo de Primeiro-Ministro do país. Garibashvili já ocupou o cargo de 2013 à 2015 e ficou conhecido por sua relação tempestuosa com partidos da oposição.

A troca de poder vem em meio a um caos político no país. A oposição se recusa a aceitar o resultado das eleições parlamentares realizadas em outubro de 2020. Os resultados oficiais apontam que o GD ganhou 48% dos votos, recebendo 90 dos 150 assentos no parlamento.

*com informações de Financial Times, Time e Reuters

Aproveitando o ensejo….
Aqui na Fonte BR, trabalhamos muito para entregar para vocês informações de qualidade amparadas unicamente na realidade dos fatos. Que tal apoiar o jornalismo independente que fazemos para você?
Clique aqui e seja um assinante. Fortaleça o bom jornalismo.

Jornalista formada pela UCPel-RS, especialista em Relações Internacionais pela UnB e pós-graduanda em Cinema e Audiovisual pela Belas Artes de São Paulo. Podcaster no MIDcast política, #AdyNews e SulCast.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escolha a Fonte!

Que tal apoiar o jornalismo independente que fazemos para você? Seja um assinante. Fortaleça o bom jornalismo. 

X