Connect with us

América do norte

Magnata canadense é multado após receber a vacina contra Covid destinada a residentes indígenas

A dupla é acusada de violar a Lei Territorial de Medidas de Emergência Civil (CEMA) ao não se isolar e não cumprir as declarações de entrada.

Nathália Urban

Published

on

O ex-presidente e CEO de uma empresa canadense de cassinos e sua esposa são o casal acusado de violar as regras de Yukon para evitar a propagação de COVID-19 e fretar um avião para a pequena comunidade de Beaver Creek para receber doses da vacina Moderna.

Rodney Baker, de 55 anos que pediu demissão da Great Canadian Gaming Corporation no domingo, e Ekaterina Baker, uma aspirante a atriz de 32 anos, receberam passagens no aeroporto de Whitehorse em 21 de janeiro, de acordo com registros do tribunal.

 O Ministro de Serviços Comunitários de Yukon, John Streicker, disse à rede canadense CBC na segunda-feira que o casal chegou a Whitehorse em 19 de janeiro. No entanto, em vez de completar um período de auto-isolamento obrigatório de 14 dias, os Bakers fretaram um vôo para Beaver Creek, uma comunidade indígena de cerca de 100 pessoas que estão localizadas a cerca de 450 quilômetros a noroeste de Whitehorse, perto da fronteira com o Alasca.

 O casal afirmou que trabalhava em um motel próximo

 Lá, de acordo com Streicker, eles aproveitaram uma clínica móvel de vacinação que estava administrando as primeiras doses da vacina Moderna aos moradores, alegando que eram novos funcionários em um motel da área.

 As comunidades rurais de Yukon têm prioridade para receber vacinas porque são mais vulneráveis ​​aos impactos do COVID-19.  Muitos estão a horas de distância do hospital e não têm recursos para lidar com um surto.

 A dupla é acusada de violar a Lei Territorial de Medidas de Emergência Civil (CEMA) ao não se isolar e não cumprir as declarações de entrada.

Rodney Baker, foi nomeado presidente da Great Canadian Gaming Corporation em 2010 e, em seguida, CEO em 2011.

A corporação possui mais de 20 cassinos na Colúmbia Britânica, Ontário, New Brunswick e Nova Scotia e, no ano passado, se envolveu em uma investigação sobre alegações de corrupção e lavagem de dinheiro.

 Ekaterina Baker, por sua vez, é uma atriz nascida na Rússia.  De acordo com sua página no IMDB, ela apareceu em alguns filmes no ano passado. Postagens nas redes sociais mostram que o casal se casou em 2017.

Suspeitas levantadas sobre solicitação de carona para o aeroporto

 O casal levantou suspeitas em Beaver Creek quando pediram uma carona para o aeroporto depois de serem vacinados.

 “E as pessoas perguntavam: ‘Bem, por que você iria para o aeroporto?’ Streicker disse.

 “E foi então que a unidade de fiscalização do CEMA foi chamada e disse: ‘Ei, quem é esse casal que pode estar voando de volta? Você deve verificar se eles realmente estão aqui no território.’  “

 Membros da equipe da clínica móvel também ligaram para o motel, de acordo com Streicker, e foram informados de que o casal não trabalhava lá.

 Simplesmente não prevíamos que alguém fosse tão longe para efetivamente enganar a equipe para ser vacinada, e acho que todos nos sentimos muito ofendidos com a coisa toda .- John Streicker, responsável por Serviços Comunitários

 Os oficiais do CEMA conseguiram identificar o casal por meio de seus formulários de declaração de entrada – todos que entrarem em Yukon vindos de outra jurisdição devem preencher um – e foram para o aeroporto de Whitehorse, onde o avião fretado do casal havia retornado de Beaver Creek.

 Depois de ir para o hotel onde os dois deveriam estar se isolando, os oficiais do CEMA descobriram que já haviam saído. Os policiais voltaram ao aeroporto e localizaram o casal enquanto se preparavam para deixar o território, disse Streicker.

 As passagens listavam os Bakers como compartilhando um endereço no centro de Vancouver, embora as publicações nas redes sociais pareçam indicar que eles dividem seu tempo entre a cidade e Toronto.

 Enquanto isso, a Primeira Nação White River, cujo escritório governamental está localizado em Beaver Creek, emitiu uma declaração no fim de semana condenando as ações do casal e pedindo penas mais severas.

 A declaração da nação indígena  também criticou os protocolos de comunicação do governo Yukon, observando que a Primeira Nação foi informada sobre o incidente pela mídia, e não pelo território.

 Streicker, em sua entrevista na segunda-feira, disse que assumiu a responsabilidade pelo fracasso em contatar imediatamente a Primeira Nação e que ele e o oficial médico chefe de saúde do território desde então falaram com a liderança da Primeira Nação.

 As violações do CEMA implicam em uma pena máxima de multa de $ 500 por acusação, seis meses de prisão ou ambos.  O casal tem 30 dias para pagar a multa ou se declarar inocente e solicitar um julgamento.

 Território trabalhando para endurecer as políticas

 Streicker também disse que o território está trabalhando para fazer leis mais rígidas para evitar que um incidente semelhante – cuja probabilidade ele considerou baixa – aconteça novamente.

 Por exemplo, no caso deste casal, um apresentou um cartão de saúde de Ontário e o outro tinha da Columbia Britânica, disse ele.  Isso não os teria impedido necessariamente de tomar a vacina, pois há muitos trabalhadores fora do território no Norte.

 Mas ele disse que o território obteve cópias de amostra de todos os outros cartões de saúde provinciais e territoriais para serem mantidos com as unidades móveis de vacina para que as unidades possam determinar se um cartão de saúde é válido, “caso alguém esteja tentando falsificá-lo”.

 O governo de Yukon também está trabalhando em maneiras de encontrar evidências de que alguém está realmente empregado no território.

 “Tudo isso está sendo resolvido pela equipe agora para tentar descobrir como manter todos seguros”, disse Streicker.

 Ele disse que o incidente foi chocante, mas disse que as autoridades não acham que isso acontecerá novamente.

 “Simplesmente não prevíamos que alguém iria tão longe para enganar efetivamente a equipe para ser vacinada, e acho que todos nos sentimos muito ofendidos com a coisa toda”, disse Streicker.

 “Mas vamos implementar procedimentos adicionais … Não imagino que isso vá se repetir.”

Aproveitando o ensejo….
Aqui na Fonte BR, trabalhamos muito para entregar para vocês informações de qualidade amparadas unicamente na realidade dos fatos. Que tal apoiar o jornalismo independente que fazemos para você?
Clique aqui e seja um assinante. Fortaleça o bom jornalismo.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escolha a Fonte!

Que tal apoiar o jornalismo independente que fazemos para você? Seja um assinante. Fortaleça o bom jornalismo. 

X