Connect with us

América Latina

Venezuela registrou a vacina Sputnik V e irá distribuir ainda durante o primeiro trimestre de 2021

A Venezuela se junta a outros países que já aprovaram oficialmente o uso da vacina russa em seus territórios, como Argentina – onde a vacinação já começou -, Bolívia, Sérvia e Palestina.

Karla Burgoa

Published

on

person holding a vaccine vial

O Governo da República Bolivariana da Venezuela, por meio do Ministério do Poder Popular para a Saúde (MPPS), anunciou nesta quinta-feira (14) o registro da vacina Sputnik V contra o coronavírus, sob o procedimento de autorização para uso emergencial, anunciado pelo Fundo Russo de Investimento Direto ( RDIF). O país está realizando ensaios biológicos de fase III.

O acordo foi firmado entre o governo da Venezuela e o Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI, na sigla em russo). Delcy Rodríguez, a vice-presidente do país, anunciou o acordo pelo Twitter.

​Seguindo as instruções do presidente @NicolasMaduro, realizamos uma reunião de trabalho por videoconferência com o presidente e o vice-presidente do Fundo Russo de Investimentos Diretos (RDIF), para o fornecimento e a produção da vacina #SputnikV na Venezuela, no primeiro trimestre do ano.”

Na última quarta-feira (13), o Ministério da Saúde da Venezuela registrou a vacina russa Sputnik V contra o coronavírus para seu uso emergencial no país. Depois de confirmar o fato, Rodríguez disse que graças à “cooperação estratégica” entre Caracas e Moscou, “a saúde e a vida do povo venezuelano” estão garantidas contra o coronavírus, apesar do “bloqueio criminoso” dos Estados Unidos contra o país sul-americano.

“Saudamos a decisão do Ministério da Saúde da Venezuela de aprovar o uso do Sputnik V, uma vacina segura e eficaz para prevenir a disseminação do coronavírus. O Sputnik V agora é uma parte importante dos portfólios nacionais de vacinas de vários países latino-americanos e esperamos que nas próximas semanas haja mais associações de vacinas na região ”, expressou o Diretor-Geral do Fundo Russo de Investimento Direto, Kirill Dmitriev.

Assim, a Venezuela se junta a outros países que já aprovaram oficialmente o uso da vacina russa em seus territórios, como Argentina – onde a vacinação já começou -, Bolívia, Sérvia e Palestina.

O país  participou com 2.000 voluntários na fase 3 dos testes clínicos do medicamento russo. Na primeira etapa, recebeu o embarque de vacinas em 2 de outubro de 2020. No final de dezembro, o país assinou o contrato para aquisição de doses para imunizar 10 milhões de pessoas em seu território.

A respeito dessa compra, o presidente Nicolás Maduro informou em sua mensagem anual à nação na última terça-feira que as primeiras 10 milhões de doses chegarão “muito em breve” ao país sul-americano “para iniciar a vacinação em massa dos setores mais carentes”.

Aproveitando o ensejo….
Aqui na Fonte BR, trabalhamos muito para entregar para vocês informações de qualidade amparadas unicamente na realidade dos fatos. Que tal apoiar o jornalismo independente que fazemos para você?
Clique aqui e seja um assinante. Fortaleça o bom jornalismo.

Jornalista boliviana, periodista potiguar. Formada pela UFRN, já trabalhou com telejornalismo diário e rádio, e atualmente, busca por meio da escrita, contribuir por uma mídia brasileira que enxergue a América Latina além dos esteriótipos

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escolha a Fonte!

Que tal apoiar o jornalismo independente que fazemos para você? Seja um assinante. Fortaleça o bom jornalismo. 

X