Connect with us

América do norte

Terroristas e apoiadores de Donald Trump migram para outras redes sociais

Após suspensão de contas em redes sociais, terroristas tentaram usar o Parler, que foi derrubado ontem à noite e agora estão no Gab

Ady Ferrer

Published

on

A invasão ao Capitólio no último dia 6 foi organizado pelas redes sociais, incluindo Facebook e Twitter. Essas redes começaram a banir as contas dos terroristas, incluindo do futuro ex-presidente Donald Trump, após o ataque. No entanto, os extremistas encontraram outras alternativas.

No mesmo dia, trumpistas migraram em massa para o Parler. A rede social foi fundada em 2018 como uma alternativa para que as pessoas possam “falar livremente e se expressarem abertamente sem o medo de serem retirados da plataforma por suas visões”, diz o site oficial. O Parler já vinha sido utilizado antes do ataque ao Capitólio, mas viu seu número de usuários crescer após o banimento e chegou a suspender a criação de novas contas. Lá, até mesmo um dos advogados de Donald Trump, Lin Wood, postou uma ameaça ao vice-presidente, Mike Pence.

“Eles os deixam entrar. Mantenham a artilharia pronta. Pence vai primeiro”

A postagem foi deletada no dia seguinte. Outros conhecidos da extrema-direita também migraram para o Parler, como o nosso presidente Jair Bolsonaro.

Jair Bolsonaro colocou o usuário do Parler na sua biografia do Twitter

Os relatos de ameaças dentro da plataforma fizeram com que o Google e a Apple banissem o app de suas lojas. Mais tarde, a Amazon, host do aplicativo, decidiu tirar o app do ar. Advogados também largaram a rede social como cliente, eliminando o Parler da internet por, pelo menos, 2 semanas. Ainda não se sabe se a decisão será definitiva, mas o CEO da empresa, John Matze, assumiu em entrevista à Fox News que nenhuma empresa quer ser o novo servidor do Parler.

Usuário MGF no Parler diz: “atenção patriotas, faça eco [algo como RT no Twitter] se você quer matar Jeff Bezos [dono da Amazon]”
Usuário Gunsbaby para outro usuário: “Por que você ainda está defendendo não-violência? É A HORA DE VIOLÊNCIA AGORA. Nós precisamos estar presentes na posse de Biden e espancar a esquerda. Nós ganhamos com violência. Política não funciona”

Enquanto o futuro do Parler estava sendo decidido, alguns usuários já estavam migrando para outra rede social: o Gab. A movimentação foi tão grande que o sistema chegou a cair. Segundo a rede social, mais de 10 mil contas novas foram criadas por hora ontem.

O Gab foi fundado em 2016 por Andrew Torba, em resposta a uma “censura em massa” das plataformas de mídia, principalmente com vozes da direita. Desde então, a rede social é conhecida como um lugar onde memes rascistas e antissemitas e teorias de conspiração, como o QAnon, podem ser postados livremente. Já em 2017, a Google baniu o aplicativo de sua loja de apps.

Foi em 2018 que a rede social ficou conhecida no mundo inteiro. Em 27 de outubro daquele ano, Robert Bowers, um homem branco, entrou atirando em uma sinagoga em Pittsburgh, na Pensilvânia, e matou 11 pessoas. O terrorista tinha uma conta verificada no Gab, e era ali que ele disseminava as suas ideias.  

Na época, o fundador do site disse em nota:

“Não importa o que você escreve. Não importa o que as sofistas cabeças falantes na TV estão dizendo. Não importa o que anônimos verificados dizem no Twitter. Nós temos muitas opções, recursos e suporte. Nós vamos fazer o que pudermos para manter o Gab online e defender a liberdade de expressão e liberdade individual de todas as pessoas”

No entanto, um dos hosts da época, o Joyent, baniu o aplicativo. As plataformas de processamento de pagamentos, o PayPal e o Stripe, também baniram o app. O Gab ficou fora do ar e agora funciona sem necessidade de um servidor externo.

Hoje, a página oficial do Gab no Twitter está comemorando o aumento no número de usuários, ao mesmo tempo em que demonstra apoio irrestrito a Donald Trump.

Aproveitando o ensejo….
Aqui na Fonte BR, trabalhamos muito para entregar para vocês informações de qualidade amparadas unicamente na realidade dos fatos. Que tal apoiar o jornalismo independente que fazemos para você?
Clique aqui e seja um assinante. Fortaleça o bom jornalismo.

Continue Reading
3 Comments

3 Comments

  1. Pingback: FBI em alerta nos 50 estados dos EUA | Fonte [BR] - A embaixada das notícias

  2. Pingback: Terroristas apoiadores de Donald Trump estão agora em canais criptografados | Fonte [BR] - A embaixada das notícias

  3. Pingback: EUA em alerta para terrorismo doméstico | Fonte [BR] - A embaixada das notícias

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escolha a Fonte!

Que tal apoiar o jornalismo independente que fazemos para você? Seja um assinante. Fortaleça o bom jornalismo. 

X