Connect with us

América do norte

Extremistas de direta dos EUA admitiram conspirar com o Hamas para cometerem atos de terrorismo

Teeter e Solomon foram flagrados dizendo acreditar que a organização militante islâmica, que governa a Faixa de Gaza, tem pontos de vista anti-governo dos EUA que se alinham com suas próprias opiniões.

Cleber Lourenço

Published

on

Um membro do grupo extremista Boogaloo Bois se declarou culpado de crimes de terrorismo após conspirar para conspirar com o Hamas .

O norte-americano Benjamin Ryan Teeter, 22, admitiu que conspirou para fornecer apoio e recursos – propriedade, serviços e armas – ao grupo terrorista Hamas, durante um julgamento no Tribunal Distrital de Minneapolis na ultima quarta-feira(16).

As acusações referem-se a uma investigação sobre outros membros do grupo identificados como Teeter e Michael Robert Solomon de acordo com o FBI.

Os Boogaloo Bois são um coletivo de extremistas de direita que vão desde a turma do “don’t tread on me” até neonazistas inveterados e antigoverno, que estão convocando uma segunda guerra civil ou se preparando para o colapso da sociedade. 

Seus apoiadores foram vistos em protestos contra o Black Lives Matter em todo o país, vestidos com roupas de estilo militar, camisas havaianas e portando armas de fogo.

O FBI disse que recebeu informações sobre membros do Boogaloo Bois por meio de um informante que Teeter e Solomon acreditavam ser membro do Hamas .

Teeter e Solomon foram flagrados dizendo acreditar que a organização militante islâmica, que governa a Faixa de Gaza, tem pontos de vista anti-governo dos EUA que se alinham com suas próprias opiniões.

Mercenários do Hamas

Teeter e Solomon falaram ao informante disfarçado de membro do Hamas, sobre o desejo de agirem como “mercenários” para o o grupo como forma de arrecadar dinheiro para Boogaloo Bois e ao sub grupo, Boojahideen , incluindo financiamento para recrutamento e compra de terras a serem usadas em um complexo de treinamento.

Teeter admitiu em sua confissão de culpa que sabia que o Hamas era uma organização terrorista.

Segundo o FBI, a dupla se encontrou com a pessoa que pensavam ser membro do Hamas várias vezes ao longo do ano, inclusive em junho, quando discutiram planos de usar explosivos para destruir prédios do governo nos EUA. Em duas outras ocasiões, os três homens discutiram conspirações para explodir tribunais.

Teeter e Solomon também entregaram supressores de armas de fogo que haviam produzido para outro homem que acreditavam ser membro do Hamas, com a dupla concordando em fabricar mais supressores, acreditando que o próximo lote seria usado pelo grupo terrorista contra militares israelenses e dos Estados Unidos no exterior.

Michael Paul, agente especial encarregado do escritório de campo do FBI em Minneapolis, disse:

“Este caso destaca a ameaça real representada por extremistas violentos domésticos que se auto-radicalizam e ameaçam atacar violentamente outros que se opõem aos seus pontos de vista, com pouco ou sem aviso. A prevenção de ataques terroristas é a prioridade número 1 do FBI e a principal missão de nossas Forças-Tarefa Conjunta de Terrorismo. “

Aproveitando o ensejo….
Aqui na Fonte BR, trabalhamos muito para entregar para vocês informações de qualidade amparadas unicamente na realidade dos fatos. Que tal apoiar o jornalismo independente que fazemos para você?
Clique aqui e seja um assinante. Fortaleça o bom jornalismo.

Veja também:

Nada é mais importante para a democracia do que um eleitorado bem informado. Apaixonado por jornalismo e política. Textos publicados em: Revista Forum, Congresso em Foco e no UOL (pelo blog Entendendo Bolsonaro)

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escolha a Fonte!

Que tal apoiar o jornalismo independente que fazemos para você? Seja um assinante. Fortaleça o bom jornalismo. 

X